Por Ciça Melo
b3
Nunca ouvi ninguém dizer para uma mãe de uma criança com diabetes que ela não deveria dar remédio a seu filho. Entretanto, já escutei de uma série de pessoas que eu não deveria medicar o meu. Entendo que muitos fazem estes comentários baseados num excesso de medicalização que existe atualmente. Eu mesma sou da linha antroposófica e meus três filhos tomaram antibiótico, por exemplo, apenas umas quatro vezes. Também entendo que esta crença ocorre em função da falta de paciência de muitos, o que faz com que muitas pessoas queiram logo acabar com determinados sofrimentos, sem lembrar que o corpo precisa criar seus próprios anticorpos.
Sei também que este assunto é polêmico e já fui crucificada por não dar a vacina de gripe ou catapora. Sim, eu não dei nenhuma das duas. O pior, entretanto, eram os olhares ou até mesmo os comentários em função de um remédio para o “nervoso”. É incrível como advogados ou engenheiros conseguem obter um diploma rápido de médico e dar opiniões tão seguras sobre “não medicalizar” uma criança. Isto me deixava ainda mais aflita.Ninguém fica feliz ao decidir dar um remédio tarja preta para o seu filho de apenas seis anos. Qualquer pessoa fica em dúvida sobre os benefícios e os malefícios. Sim, sempre haverá efeitos colaterais.Outro dia, uma mãe na porta da escola dizia “eu não vou dar remédio algum para meu filho, temos que aprender a entender o outro e conviver com as suas características”. Neste mesmo dia, meu filho mais velho chegou no carro comentando sobre um menino do quarto ano que havia mordido o inspetor e quebrado a pia do banheiro. Coincidentemente, era o filho daquela moça da porta da escola. Aquilo me fez pensar, o que seria melhor para aquele menino? Para aquela mãe? Para aquela família? Ou até para as crianças que estão ao redor, sua comunidade? Será que vale ficarmos presos a preconceitos e não avaliarmos cada situação como única?

2 comentários em “Uma decisão sem preconceitos

  1. É, incrível a falta de bom senso existente em todos nós. Somos indivíduos, cada um com seu histórico e necessidades. Não há como generalizar. Por outro lado, a ciência existe para trazer soluções possíveis aos diferentes problemas. A ciência está a nosso serviço. Vale o equilíbrio!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s