DESCRIÇÃO DA IMAGEM: a foto mostra um menino com síndrome de down empurrando uma menina na cadeira de rodas.
DESCRIÇÃO DA IMAGEM: a foto mostra um menino com síndrome de down empurrando uma menina na cadeira de rodas.

O ParaTodos esteve na exposição Cidade Acessível na Casa de Ciência da UFRJ. A exposição está muito bem montada e proporciona aos visitantes várias experiências sensoriais.

Ao entrar, o visitante pode escolher vendar os olhos, usar cadeira de rodas ou abafadores de ouvido. Com este equipamento inicia-se a visita através de rampas, jardins sensoriais, poesias em braile, computadores, soroban e muitas outras possibilidades.

Além de proporcionar as vivências sensoriais, coloca à disposição informações valiosas relacionadas à Educação Inclusiva e à acessibilidade.

Um grupo de crianças nos acompanhou nesta empreitada e compartilhamos aqui seus depoimentos sobre a exposição:

Anouk Margot, 8 anos

“Eu achei o museu super legal porque você vê como é a vida de pessoas que usam muletas, quem é cadeirante, quem é cego, quem está grávida , quem é surdo e um monte de outras coisas.
Quando eu fui usar cadeira de rodas eu como era difícil subir e descer de um lugar. Lá no museu tinha um ônibus de   mentirinha e quando eu tentei subir com a cadeira de rodas, me falaram que era para subir de costas e eu achei muito difícil. Quando eu usei a muleta eu achei que foi um pouco mais fácil, porque é tipo se pendurar em uns tubos de plástico com um é no chão.
Quando eu fiquei grávida de mentira eu me senti um pouco pesada, porque colocaram uma almofada gigante na minha barriga.
Eu também usei várias outras coisas.”

Isabel, 9 anos

“Achei muito legal. Agente soube como era ser um deficiente. E era muito difícil . Imagina se eu vir  cadeirante na rua? Eu ia querer ajudar. Ao mesmo tempo eu gostei de andar na cadeira de rodas mas 1, 2 3 horas é muito tempo pra ficar na cadeira de rodas. Igualmente com o  andador… Deve ser muito difícil. Na casa da ciência eu andei  mas não sabia andar com o andador. Ser deficiente deve ser muito difícil . Também tinha o tapa olho do cego. Se eu fosse completamente cegaria precisaria de muita ajuda. Ser surdo é muito difícil , mesmo com os movimentos da mão.  Ir com amigos foi muito bom. Podemos combinar novamente!!!!”

Luiza Melo, 8 anos

“Estive no museu Cidade Acessível, na Casa da Ciência. Ele estava falando sobre as deficiências e suas dificuldades. Eu achei que era muito legal. Eu tive algumas dificuldades, mas eu acho que quem nasceu com alguma dificuldade já se acostumo porque sempre foi assim, mas quem mais velho fica com alguma dificuldade, no começo terá alguma dificuldade mas depois se acostumará. A proposta do museu era você experimentar usar uma cadeira de rodas, ficar cego e etc. Eu acho que quem tem alguma dificuldade precisa de um pouco de ajuda mas não muita. Também tem alguns videos. Achei a proposta do museu muito legal.”

Bruna, 9 anos

“Eu achei bem legal a exposição porque eu aprendi como é viver como deficiente, o que é bem difícil! Eu consegui ver como é ser cadeirante, cego e como ser aleijado (sic). Foi complicado, mas consegui.
Achei muito bom saber dessas coisas, como as pessoas se sentem com as deficiências e foi bom para a minha cultura de vida.”

Local: Casa da Ciência da UFRJ (Rua Lauro Müller, 3 – Botafogo). Ter a Sex – 9 às 20h / sáb, dom e feriados – 10 às 20h. Entrada franca.

A exposição permanece no local até o dia 21 de dezembro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s