DESCRIÇÃO DA IMAGEM: a ilustração traz as palavras “infinito particular” escritas com letras brancas e maiúsculas, dentro de um círculo. Ao redor, flores
Atualmente, diversas características “definem” a pessoa com autismo, sendo algumas delas: a falta de habilidade social, a distorcida comunicação interpessoal, os interesses restritos, o reduzido contato visual, os movimentos repetitivos, entre outras “definições” comuns a pessoas com esse transtorno. Porém, de forma quase que majoritária, os fatos ocorridos com esta população são disseminados pelos não autistas, impossibilitando, então, um amplo entendimento dos acontecimentos.
Assim, com o intuito de auxiliar à compreensão deste transtorno, transcrevo a releitura da música “Infinito Particular” de Marisa Monte, realizada por uma jovem com Síndrome de Asperger que, na inabilidade de expressão de seus sentimentos, observou na música um meio de representação de suas sensações, referentes ao período de seu pré-diagnóstico.

“Eu mesmo não me aguento nesse meu infinito tão particular. 

Peço sem palavras, aos poucos que me amam: 

Façam sua parte para que eu possa lhes mostrar não só o pior de mim, mas sobretudo o meu melhor.

Podem pensar que eu sou de Marte, mas eu juro que, apesar de possuir esse tal infinito particular, eu sou daqui! 

Muitos se perderam ao tentarem me adentrar, ao tentarem me olhar, mas eu, em pensamentos, implorava: “Vem, cara, me repara.”

Para mim, que possuo o tudo e o nada a esconder, por ser pequenina e também gigante, com a minha voz muda eu sempre quis dizer: 

“Vem, cara, me declara”. 

Declara para mim mesmo que mistério é esse que eu vivo, pois para mim, viver é um segredo que eu almejo decifrar.

Tenha certeza que o meu termômetro é um quilate, que o meu mundo, infelizmente, é portátil.

Sei que tu sabes que eu não sou fácil de se ler, mas não é impossível como tu pensas, pois tenha certeza que eu sou porta bandeira de mim. 

Não vê? Tá na cara…

Mas apesar de tudo isso, eu posso lhe afirmar: “Eu sou potável! Daqui tu podes beber.” 

Eu só lhe peço para ter o cuidado de não se perder ao adentrar no meu INFINITO PARTICULAR”. (Andressa Leal)

6 comentários em “Meu infinito particular

  1. Que LINDO, tão absolutamente igual à todo mundo, contudo, com um apelo de sensibilidade, honestidade e real, que emociona MUITO!
    Quem sabe, um dia, todos nós, consigamos essa conexão!l

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s