Convivendo se aprende!

Por Flavia Parente Estava outro dia no metrô lotado, quando percebi a entrada no vagão de uma mãe com dois filhos adolescentes. Algo familiar em seu olhar me chamou atenção - era de preocupação. Paro, então, o que estava fazendo para observar aquela família. O olhar preocupado de uma mãe sempre me mobiliza. Quantas e … Continue lendo Convivendo se aprende!

Ninguém conhece a sua dor

Por Fabiana Ribeiro Ninguém conhece a sua dor. Ela preferia um braço quebrado, um dente cariado, uma pedra no rim. Mas a dor que ela sente é lancinante. É angústia, impotência, tristeza - tudo junto num embrulho na alma. É dor de filho. Conhece? É a pior dor do mundo. Viver é ter de lidar … Continue lendo Ninguém conhece a sua dor

Alfabetização do olhar 

Por Flavia Parente   Depois que nos alfabetizamos, nunca mais passamos os olhos pelas palavras sem tentar ler. Depois que o olhar é alfabetizado para a inclusão das diversidades e, especialmente, das pessoas com deficiência, nunca mais subimos as escadas de um prédio sem procurar rampas; entramos num banheiro público, sem procurar um adaptado para pessoa … Continue lendo Alfabetização do olhar 

Inclusão lá e cá

Por Ciça Melo Bons ventos me trouxeram prá Portugal. E aqui estando não pude deixar de ter contato com a inclusão. Fosse através de um olhar atento a tudo que o país oferece em termos de turismo inclusivo. Aulas de surf para todos, entrada para aqueles com mobilidade reduzida, réplica tátil de uma obra. Ou … Continue lendo Inclusão lá e cá

Tadinho do moço, mãe

Por Fabiana Ribeiro* Num desses domingos de futebol, o Botafogo ganhou do Vasco. Meu caçula estava feliz com essa vitória, que tinha um gosto especial: afinal, ele e o pai puderam festejar juntos a conquista do time. Exultante, logo cedo na manhã do dia seguinte, Vitor vestiu a camisa alvinegra e desfilou sua felicidade pelas ruas de … Continue lendo Tadinho do moço, mãe

Prêmio Paratodos de Inclusão – RESULTADO

Saiu o resultado do Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar. Com inscrições vindas de todo o Brasil, os trabalhos evidenciam o esforço de muitos professores em fazer da inclusão uma realidade nas salas de aula do país. Não se pode deixar de destacar também que as escolas públicas, mais uma vez, concentraram a maior parte dos … Continue lendo Prêmio Paratodos de Inclusão – RESULTADO

Por que dividem as brincadeiras entre menino e menina?

Fabiana Ribeiro* Num desses feriados, minha família foi curtir os dias de descanso num hotel na praia. No paraíso privado, havia sombra, água de coco e recreadores. E, pela primeira vez, meus filhos (de 9 e 11 anos) se deixaram levar de verdade pelos chamados dos tios animados. O dia tinha sido super divertido para todos. … Continue lendo Por que dividem as brincadeiras entre menino e menina?

Comunicação alternativa

  O Paratodos reuniu no sábado, 5 de maio, profissionais interessados em conhecer uma metodologia de comunicação alternativa voltada para pessoas com dificuldade de comunicação. Entre os profissionais havia fonoaudiólogos, psicólogos, médicos e educadores. Sim, temos visto cada vez mais professores envolvidos no processo de inclusão. No grupo também havia vários familiares. “Levar a possibilidade … Continue lendo Comunicação alternativa