PRÊMIO PARATODOS DE INCLUSÃO ESCOLAR 2017
paratodoslogo

Sabemos que os professores são um dos principais agentes transformadores da sociedade. De nada adiantam leis ou diretrizes, se os profissionais de ensino não tomarem para si um dos maiores desafios que a Educação, hoje em dia, impõe a todos: a inclusão.

Pensando nisso, o Paratodos, com patrocínio da LECCA Investimentos e apoio dos Institutos Alana, Mara Gabrilli e Rodrigo Mendes, lança o Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar 2017, que visa a premiar experiências pedagógicas inclusivas que foram desenvolvidas por professores de instituições de ensino regular. O objetivo do prêmio é reconhecer, mas também estimular e disseminar, ações inclusivas em todos os segmentos da educação. Nesta segunda edição, podem participar professores da rede pública e da rede particular da Educação Infantil ao Ensino Superior. No ano anterior, os trabalhos aceitos ficavam restritos da educação infantil ao ensino médio. Em breve, o regulamento da premiação será divulgado no site do Paratodos. Clique aqui para saber mais sobre a primeira premiação do Paratodos.

A seguir, link para baixar carta-convite para professores: carta_professores

A seguir, link para baixar o regulamento do Premio Paratodos de Inclusão Escolar: Regulamento Prêmio Paratodos

Inscrições abertas. Confira o regulamento. 

De outubro a dezembro de 2017, professores de todo o Brasil poderão inscrever sua experiência pedagógica referente aos anos letivos de 2016 e 2017. É importante destacar que caberá ao professor de turma apresentar a experiência realizada em sala, observando o que aplicou com a turma toda e como desenvolveu a atividade com o aluno em situação de inclusão. Também precisarão ser informados, além da forma como foi executada a atividade, os resultados práticos da experiência, como o alcance dos objetivos de aprendizagem ou meta individual. Também será preciso relatar o impacto socioemocional na turma e no corpo docente. A seleção das experiências vai considerar também objetividade do relato da experiência; consistência pedagógica e conceitual, sucesso escolar dos alunos envolvidos, contextualização da escola e potencial de aplicação da experiência em outras realidades educacionais. Também serão levados em conta esforço incomum, determinação, isenção, perseverança, ética e respeito à diversidade.

Além do vencedor do Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar 2017, que receberá um tablet, os melhores relatos serão divulgados no Diversa – plataforma, do Instituto Rodrigo Mendes, de troca de experiências e construção de conhecimento sobre educação inclusiva. As escolas ou faculdades nas quais foram desenvolvidas as experiências selecionadas como finalistas serão premiadas com placas comemorativas. A divulgação oficial do resultado, com data ainda a ser definida, acontecerá em maio de 2018.

Ainda que a triagem dos trabalhos recebidos seja feita pelo Paratodos, cabe a um júri convidado avaliar as melhores experiências em inclusão. O júri é formado por especialistas em educação inclusiva:

Fazem parte do júri:

MARIA TERESA ÉGLER MANTOAN. Pedagoga, mestre e doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, professora assistente da Universidade Estadual de Campinas. Dedica-
se, nas áreas de pesquisa, docência e extensão, ao direito incondicional de todos os alunos à educação escolar de nível básico e superior de ensino. Oficial da Ordem Nacional do Mérito Educacional no Grau de Cavaleiro – Reconhecimento a contribuição à Educação no Brasil.

MARÍLIA COSTA DIAS. Pedagoga pela UFRGS, mestre e doutoranda em Educação pela FEUSP. Foi Coordenadora dos Programas de Pós-graduação e Educação Continuada no Instituto Singularidades e coordenadora e professora da especialização em Educação Inclusiva no Instituto Vera Cruz. Assumiu cargos de gestão na APAE de São Paulo e na Fundação Projeto Travessia. Realizou consultoria para MEC, Secretarias de Educação municipal, escolas particulares, ONGs e editoras. É coordenadora pedagógica na Comunidade Educativa CEDAC e professora no curso de Pedagogia do Instituto Vera Cruz.

MARTA ALMEIDA GIL. Consultora na área de Inclusão, Coordenadora do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas (www.amankay.org.br), responsável pela  elaboração da Metodologia SESI SENAI de Gestão da
Inclusão,  pesquisadora; conteudista de EAD e vídeos; e colunista da Revista Reação. Autora do livro “Caminhos da Inclusão – a trajetória da formação profissional de pessoas com deficiência no SENAI-SP” e organizadora do livro “Educação Inclusiva: o que o professor tem a ver com isso ?”.

A divulgação oficial do resultado acontecerá em maio de 2018.

Participe, divulgue o Prêmio  e vamos pensar juntos numa educação cada vez mais #paratodos.


 

PRÊMIO PARATODOS DE INCLUSÃO ESCOLAR

Regulamento 2017

 

  • Objetivo

 

O Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar, com patrocínio da LECCA Investimentos e apoio dos Institutos Alana, Mara Gabrilli e Rodrigo Mendes, vai selecionar e premiar experiências pedagógicas bem sucedidas em inclusão de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação, que tenham sido desenvolvidas por professores de instituições de ensino regular,  da Educação Infantil ao Ensino Superior, considerando os critérios estabelecidos neste regulamento.

  1. Da candidatura

2.1 Todos os professores de instituições de ensino regulares públicas ou privadas – da Educação Infantil ao Ensino Superior – podem se inscrever no Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar. A instituição de ensino deve ser reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

2.2  Somente poderão ser inscritas experiências de inclusão com resultados de eficácia comprovados (desempenho positivo do aluno, participação em atividades da turma, evolução acadêmica do aluno) durante os anos letivos de 2016 e 2017.

2.3  Serão considerados somente os relatos enviados dentro do prazo estabelecido por este regulamento. A Comissão Organizadora não se responsabiliza por inscrição não recebida no prazo por motivos de falhas técnica de computadores, de linhas de comunicação, de acesso à internet, entre outros fatores que impossibilitem o envio do relato do professor.

2.4 Fica limitada a inscrição de no máximo dois trabalhos distintos por participante.

  1. Inscrição

3.1 A inscrição do candidato deve ser feita por e-mail, de 05 de outubro até às 23h59 de 31 de dezembro de 2017, a partir do envio do relato da experiência escolar vivida, evidenciando e comprovando os resultados obtidos no período a que se refere este regulamento. O envio deve ser feito pelo email: premio@paratodos.net.br.

3.2 O ato de inscrição implica concordância e adesão irrestritas a este regulamento e atesta a veracidade das informações da ficha e do caso enviado.

3.3 Deve-se enviar juntamente com o relato anuência da direção da escola da participação do professor e exposição do relato. No caso de envio de fotos e/ou vídeos, é fundamental autorização dos responsáveis dos menores de idade, bem como dos demais participantes do material enviado.

3.4 A inscrição corresponderá ainda a autorização para publicação do material enviado pelo Paratodos e instituições parceiras.

3.5 Não é cobrada taxa de inscrição;

3.6 Pedidos de esclarecimento de  eventuais dúvidas de interpretação do regulamento deverão ser endereçados, até 05 (cinco) dias úteis antes da data do término do prazo de inscrição, para o e-mail premio@paratodos.net.br.

  1. Do formato de apresentação do trabalho

4.1 Os candidatos devem enviar relato do trabalho de inclusão ocorrido dentro da instituição de ensino indicando o seu segmento da educação.

4.2 Os Relatos não devem ultrapassar 08 (oito) páginas. Devem ser encaminhados em anexo por e-mail, digitado em fonte Arial ou Times New Roman (corpo 12), em formato A4, com 3 cm nas margens superior e esquerda e com 2 cm nas margens inferior e direita, usando  espaçamento de 1,5. Pede-se que seja, preferencialmente, em formato PDF.

4.3 Os Relatos devem apresentar obrigatoriamente uma capa com as seguintes informações: nome do professor; título do trabalho; instituição de ensino; segmento da educação; cidade/estado; resumo do relato.

4.4 Os relatos devem seguir o roteiro: Apresentação (geral); Equipe Responsável (pelo experiência pedagógica); Descrição da Experiência (proposta para o grupo, adaptação para alunos em situação de inclusão, alunos beneficiados, objetivo da ação, impactos e resultados e avaliação); Considerações Finais (conclusão) e Bibliografia (se for o caso).

4.5 Podem ser enviados para complementar o relato, como anexos à inscrição: vídeos, fotografias, aplicativos, projetos pedagógicos, depoimentos de familiares, material pedagógico adaptado ou de desenho universal, ou quaisquer outros materiais que comprovem as ações feitas em sala de aula e seus benefícios em favor da  inclusão.

4.6 Para todo e qualquer depoimento de familiar em vídeo ou fotografia, seja adulto ou criança, torna-se necessária a autorização dos envolvidos por escrito.

4.7 Juntamente como o relato, é preciso enviar anuência da direção da escola sobre o relato enviado.  

4.8 Qualquer outra forma de envio será analisado pela comissão durante a triagem dos trabalhos recebidos e poderá ser desclassificado sem justificativa.

  1. Comissão Organizadora

5.1 A Comissão Organizadora, formada pelas integrantes do movimento Paratodos, é responsável pela coordenação do prêmio e tem ainda a função de fazer uma triagem nos trabalhos recebidos, com base nos critérios estabelecidos.

 

  1. Julgamento

6.1 O julgamento dos casos inscritos será realizado por uma Comissão Julgadora, que será formada por profissionais da área de educação e especialistas de inclusão e ou acessibilidade.

6.2 A Comissão Julgadora atribuirá o Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar ao caso que melhor cumprir os objetivos do concurso descritos no item 1.1.

6.3 A seleção das experiências vai considerar objetividade do relato da experiência; consistência pedagógica e conceitual, sucesso escolar dos alunos envolvidos, contextualização da escola e potencial de aplicação da experiência em outras realidades educacionais.

6.4 Também serão avaliados nos relatos a sintonia da proposta pedagógica dos alunos em inclusão com os alunos da turma, em parceria com famílias; parceria AEE/professores; utilização de recursos da comunidade; olhar para o potencial do aluno; menção de acompanhantes; envolvimento da equipe escolar; envolvimento com demais alunos, supervisão multidisciplinar dos professores do AEE; protagonismo dos docentes.

6.5. Não serão aceitos artigos acadêmicos, mesmo aqueles não publicados ainda.

6.6 A Comissão Julgadora avaliará os casos conforme ainda esforço incomum, determinação, isenção, perseverança, ética e respeito à diversidade.

 

  1. Dos critérios

7.1 Os relatos devem seguir os seguintes critérios:

  1. Foco no tema da inclusão escolar de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação;
  2. Coerência com os objetivos da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência);
  3. Indicação de resultados da ação;
  4. Menção à forma de gestão da escola, demonstrando a prática democrática, colaborativa e participativa entre gestores, educadores e demais segmentos da comunidade escolar;
  5. Descrição da(s) estratégia(s) pedagógica(s) inclusiva(s);
  6. Indicação de impactos pedagógicos e sociais no aluno e na turma; e
  7. Possibilidade de replicar a experiência, com devidas adaptações, vivenciada pelo educador.

 

  1. Premiação

8.1 Os três casos mais relevantes receberão brindes do Paratodos e terão seus trabalhos divulgados no site.

8.2 As escolas nas quais foram desenvolvidas as experiências selecionadas como finalistas serão premiadas com placas comemorativas.

8.3 O caso escolhido para receber o Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar receberá além da camiseta e da divulgação, um tablet.

  1. Disposições Finais

9.1 Não poderão participar do Prêmio Paratodos de Inclusão Escolar: Membros ou familiares da Comissão Organizadora e da Comissão Julgadora; e Professores que não sejam formados e que não estivessem legalmente contratados na escola referida na data em que o trabalho foi executado.

9.2 Todos os trabalhos enviados ao concurso poderão ser expostos, veiculados e reproduzidos em publicações, programas e eventos de caráter educativo ou cultural, ou de divulgação da promotora do concurso, independente de qualquer remuneração, autorização ou licença de seus autores, sem qualquer tipo de compensação ou indenização, assegurada a menção da autoria.

9.3 A inscrição no Prêmio implica, em caráter irrevogável.

9.4 Ao se inscrever, o participante autoriza também que as entrevistas e depoimentos que porventura sejam concedidos ao Paratodos ou a parceiros sejam reproduzidos por estas entidades, por si ou por terceiros e divulgados nos materiais, suportes, mídias e meios indicados neste regulamento.

9.5 Os trabalhos que não atenderem às exigências deste regulamento serão automaticamente desclassificados.

9.6 Todas as questões omissas do regulamento, assim como a interpretação de dispositivos, serão decididas pela Comissão Organizadora de forma soberana, e suas decisões não serão objeto de questionamento ou impugnação por qualquer das partes envolvidas.

9.7 O nome das crianças e dos familiares envolvidos serão alterados para efeito de publicação protegendo sua identidade.

Rio de Janeiro, 5 de outubro de 2017.

__________________________________________________________________

barra logos